PROJETO VIAGENS ECOLÓGICAS E CULTURAIS - 2009 - 2021

Principalmente objetivando incentivar outras pessoas a também realizarem ações em prol de Ilhabela ou de seus próprios municípios, este documento apresenta um retrospecto desta singular iniciativa que se consagrou como um dos mais ousados, duradouros, complexos e minuciosos planos de desenvolvimento turístico independentes já realizados no Brasil.

 

Frutos de uma verdadeira jornada documental que ajudou a reescrever a forma de fazer guias turísticos no Brasil, os livros sobre Ilha Grande e Ilhabela e o portal da coleção VIAGENS ECOLÓGICAS E CULTURAIS nasceram após anos de intensos trabalhos e pesquisa sobre centenas de importantes publicações e sites turísticos nacionais e internacionais.

Coordenada pelos expedicionários-documentaristas Fernanda Lupo e Márcio Bortolusso, essa série é uma ação editorial inédita da PHOTOVERDE® Produções, produtora pioneira na documentação e promoção dos segmentos Aventura, Natureza e Cultura Regional - mais de 1.000 ações divulgadas em mais de 550 mídias desde 1995 (www.photoverde.com.br).

Segundo especialistas, a exaustiva pesquisa e o árduo trabalho de campo do casal nos primeiros livros da série originaram os mais completos e confiáveis inventários turísticos de Ilhabela e da Ilha Grande, elogiados até por pesquisadores internacionais, renomados editores, Embratur e Ministério do Turismo.

Com métodos pioneiros e modernas tecnologias, após cruzar centenas de documentos etno-arqueológicos, antropológicos e biológicos e cuidadosamente remedir áreas, distâncias, altitudes, tempos e até mesmo a altura das cachoeiras, o casal reescreveu importantes dados turísticos, geográficos e históricos, propostas que foram revisadas e aceitas por órgãos públicos e privados (prefeituras, Unidades de Conservação, etc.), ONGs, historiadores, arqueólogos, biólogos, turismólogos, operadoras de Mergulho, atletas, moradores, turistas e profissionais diversos (Bombeiros, Capitania dos Portos, etc.). Dando uma ideia do preciosismo das pesquisas, apenas para a produção do novo mapa de Ilhabela, foram meses de trabalho de campo e estudo sobre mais de 160 mapas e cartas oficiais dos séculos XVI ao XXI.

O projeto Viagens Ecológicas e Culturais é uma produção da Photoverde Produções, produtora pioneira na documentação dos segmentos Aventura, Natureza e Cultura Regional, com raízes em 1995.

press to zoom

Fernanda e Márcio afastados cerca de 2 km do sul da Ilha de São Sebastião, distância suficiente para avistarem a enorme cachoeira Grande do Areado - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Exemplos de embarcações a motor usadas pela dupla ao navegar pelas ilhas do Arquipélago de Ilhabela: canoas, barcos de pesca, botes, lanchas, veleiros, etc - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

RESUMO DAS AÇÕES REALIZADAS NO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA PELOS EXPEDICIONÁRIOS-

DOCUMENTARISTAS FERNANDA LUPO E MÁRCIO BORTOLUSSO:

1)   EXPLORAÇÃO DAS POTENCIALIDADES TURÍSTICAS DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Apostando nas atividades ao Ar Livre independentes e no Ecoturismo para o desenvolvimento sustentável e contra a especulação imobiliária que destrói as últimas localidades selvagens e o patrimônio imaterial das comunidades tradicionais caiçaras, indo muito além dos cartões postais e dos roteiros tradicionais, durante 12 anos os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® exploraram centenas de importantes atrativos naturais e culturais de Ilhabela (a maioria inéditos do público), registraram espécies raras, visitaram naufrágios impressionantes, palmilharam lugares que talvez nunca tenham sido pisados por outros humanos e descobriram árvores seculares gigantes, sítios arqueológicos não cadastrados, os primeiros espeleotemas registrados do arquipélago, algumas das maiores cavernas insulares do Brasil, diversas cachoeiras desconhecidas do público (incluindo uma das maiores do país) e recantos paradisíacos secretos tão belos que são impossíveis de serem descritos com palavras e que muitas vezes precisaram ser mantidos resguardados dos turistas.

Por fim, além de produzirem os mais completos levantamentos da Oferta Turística de Ilhabela, Fernanda e Márcio praticamente duplicaram a quantidade de atrativos do município - o número de praias subiu de 39 para 73, o de naufrágios de cerca de 20 para 45, cachoeiras de cerca de 16 para 38 quedas catalogadas e os points de Mergulho, os passeios e as aventuras mais que dobraram.

As alegrias e recompensas superaram as adversidades, mas durante a medição, documentação e catalogação de centenas de atrativos e a abertura ou estruturação de novos points para a prática e introdução de novas atividades de Aventura - após centenas de quilômetros, remando por zonas perigosas ou caminhando por vários dias com dezenas de quilos nas costas, madrugada adentro ou sob sol escaldante, encarando árduas explorações por densas florestas, acidentados costões rochosos, corredeiras bravias, cavernas misteriosas, estreitas passagens submarinas e isoladas montanhas - o casal pagou um alto preço: picadas de aranha, incontáveis hematomas e cortes pelo corpo, quedas preocupantes (uma das vezes em uma encosta, sobre um facão afiado que varou uma orelha e por pouco não cortou uma jugular), remadas sob tempestades (com ondas de até 5 metros de face e ventos de mais de 100 km/h), dengue por várias vezes, insolação, queimaduras (urtigas e taturanas), equipamentos avariados, esgotamento físico, ataques de abelhas e de marimbondos, carrapatos, as “quase” picadas de jararacas, entre outros sustos e dificuldades;

2)   ELABORAÇÃO DO INVENTÁRIO DA OFERTA E DAS POTENCIALIDADES TURÍSTICAS DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Relação dos bens turísticos materiais e imateriais do município, que provou que Ilhabela possui uma das maiores “potencialidades” ecoturísticas do planeta, se equiparando em quantidade e variedade de produtos turísticos (existentes ou a serem desenvolvidos) com os principais destinos de Turismo Ecológico e Aventura do mundo.

Apresentado ao poder público local, documento inédito com 237 produtos (inventariados ou com planejamento detalhado), listando todas as opções da Oferta Turística municipal (com análises e proposições de aperfeiçoamento), as atividades ao Ar Livre praticadas e a serem implantadas no arquipélago, um levantamento inédito do potencial natural e cultural do município (incluindo uma série de novas alternativas estruturadas/idealizadas - novas atividades, novos points e/ou setores para prática, etc.) e possíveis roteiros de grande valor ambiental e econômico que infelizmente ainda não são conhecidos ou explorados de forma sustentável.

Trata-se do único inventário que apresenta as atividades de Aventura e/ou Ecoturismo praticadas no município - indo muito além da “Capital Nacional da Vela”, levantamento, mapeamento e produção de dados sobre dezenas de esportes/atividades, tais como Canionismo, Parapente, Escalada (Boulder, Esportiva, Psicobloc, Tradicional, etc.), Slackline (incluindo Highline e Waterline), Wakeboard, Observação de Aves, Caminhada, Surf, Windsurf, Canoagem (Oceânica, Rock Gardening, Onda, etc.), Mergulho, Kitesurf, SUP, Acquatrekking, Pedalada, Bodyboard, etc. O trabalho inclui um descritivo preciso de cada atividade, mapa com a localização dos principais pontos de prática, modalidades, etc;

Fato rotineiro durante as explorações, por diversas vezes os documentaristas sofreram quedas, cortes, pancadas, queimaduras ou picadas de insetos e animais - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Além das trilhas, por meses os documentaristas navegaram pela mata fechada de Ilhabela para descobrir, confirmar ou registrar atrativos naturais- Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Dentre vários incidentes com animais venenosos, foto mostra uma queimadura proveniente de um breve esbarrão em uma taturana - Foto: Fernanda Lupo.

press to zoom

3)   O MAIOR BANCO DE DADOS SOBRE ILHABELA, COM MILHARES DE VÍDEOS, FOTOS E TEXTOS PROMOCIONAIS E/OU JORNALÍSTICOS SOBRE OS PRINCIPAIS ATRATIVOS TURÍSTICOS DO ARQUIPÉLAGO: Conteúdo de extrema relevância socioeconômica e ambiental, por mais de uma década os expedicionários-documentaristas produziram centenas de textos e dezenas de milhares de fotos e vídeos profissionais (dos mais variados ângulos e nas mais variadas condições de luz) praticamente de todos os temas turísticos tradicionais de Ilhabela e de centenas/milhares de localidades, acontecimentos, personalidades, espécies, atividades, estabelecimentos, artefatos históricos e paisagens do arquipélago nunca ou raramente registradas - de atrativos bem conhecidos como o Buraco do Cação, a Sapopema Gigante, o Pico do Baepi, o Parque das Cachoeiras, a Trilha da Água Branca ou a Antiga Cadeia e Fórum; passando pela Volta da Ilha (à pé ou remando), pela Gruta do Oratório, pelos poços Dourado ou das Esmeraldas, pela Figueira Centenária, por todas as 73 praias do município e todas as 38 cachoeiras até então catalogadas, por 65 points de Mergulho ou por mais de 40 naufrágios; até recantos isolados raramente visitados, como o Cânion dos Escravos, a Cachoeira Grande do Areado, as Piscinas e Grutas das Furnas, a Caverna da Talhada, a Trilha das Cachoeiras (do Saruê, etc.), as Cachoeiras do Poço, as Grutas da Ilha dos Búzios, a Laje Verde, a Grande Toca do Eixo, o Morro do Pião, as trilhas do Mathias ou do Arrozal ou o Sítio Concheiro da Prainha;

 

4) RESGATE HISTÓRICO-CULTURAL DE TOPÔNIMOS: Inicialmente durante um meticuloso trabalho jornalístico que durou 25 meses e sequencialmente durante mais de uma década de novos estudos e descobertas, com metodologias científicas acadêmicas e próprias, tal pesquisa inventariou mais de uma centena de nomes e/ou palavras seculares que fazem parte da história do Arquipélago de Ilhabela, investigando suas origens histórico-culturais, fonéticas, oficiais e/ou populares.

O trabalho tratou desde a grafia exata de certas nomenclaturas (listas de atrativos naturais variados - “Cabarahu”, “Codó”, “Morro da Queimada do Frade”, “Indaiaúba”, “Itaguassú”, “Guanxumas”, “Pacuíba”, “Garapocaia”, “Itaquanduba”, “Perequê, “Ciribaí”, etc.) até o estudo da origem histórica de cada vocábulo local (“Porto do Batango”, “Toca da Maria Cabeluda”, “Ponta Azeda”, “Barreiros”, “Porto São Paulo”, “Prainha do Saco do Indaiá”, “Bonete”, “Prainha de Fora”, “Gruta do Oratório”, “Praia da Riscada”, “Furnas”, “Toca do Negro”, “Praia do Figueira”, “Antônios”, “Prainha das Galhetas”, “Toca do come Bala”, “Prainha do Souza”, “Pedras Miúdas”, “Prainha do Ilhote”, “Feiticeirinha”, “Barrinha”, “Morro da Ponta Alta”, entre tantos outros termos);

 

5) LEVANTAMENTO E PRODUÇÃO DE DADOS SOBRE O PATRIMÔNIO BIOLÓGICO DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Com informações precisas e baseado em dezenas de levantamentos produzidos por inúmeros pesquisadores de diversas áreas, inventário com conteúdo de grande relevância turística, social e econômica sobre as riquezas ambientais de Ilhabela - “a maior área insular de Mata Atlântica do planeta” (título confirmado e proposto pelos profissionais da PHOTOVERDE®), características e principais espécies da flora e fauna (com índices de mamíferos, répteis, anfíbios, aves, peixes, cetáceos, etc.), Unidades de Conservação (Parque Estadual de Ilhabela, APA Marinha do Litoral Norte, Parque Municipal das Cachoeiras e Santuário Ecológico Marinho da Ilha das Cabras), principais regras e recomendações ambientais do município, biomas locais, entre outros parâmetros da biodiversidade local;

Durante os meses de trabalho de campo a dupla registrou árvores gigantes, algumas com séculos de idade - Foto: Fernanda Lupo.

press to zoom

Milhares de cliques, por centenas de quilômetros, por dezenas de meses - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Interagir com a cultura regional é fundamental para a real compreensão e posterior divulgação dos locais visitados e de seus moradores - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

6)   LIVRO VIAGENS ECOLÓGICAS E CULTURAIS - ILHABELA, “A MAIS COMPLETA E CONFIÁVEL PUBLICAÇÃO SOBRE O ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Uma das principais fontes bibliográficas do Plano Gestor de Turismo deste município, que apresenta os mais abrangentes e precisos inventários de praias (antes 39, agora 73 documentadas), cachoeiras (público conhecia umas 15, hoje são mais de 40 catalogadas), naufrágios (de 20 para 45), pontos de Mergulho (65), atividades de Ecoturismo e Aventura (hoje mais de 20), sítios históricos, patrimônios culturais, etc.

Após virar referência sobre Ilhabela, a obra serviu de fonte para pesquisas acadêmicas (TCCs de Bacharelado, Mestrado e Doutorado), inúmeros artigos jornalísticos, livros, vídeos, etc. Os autores doaram centenas de exemplares, para a Fundação Florestal, Parque Estadual de Ilhabela, Prefeitura de Ilhabela, principais bibliotecas, todas as escolas do município, dezenas de agências e guias de Turismo, ONGs, alguns dos maiores nomes da Aventura brasileira, atletas locais, empresários do Trade Turístico municipal, etc;

 

7)   DESENVOLVIMENTO DO PORTAL WWW.VIAGENSECOLOGICAS.COM.BR, O MAIS COMPLETO E CONFIÁVEL CONTEÚDO ONLINE SOBRE ILHABELA: Extensão virtual do livro “Viagens Ecológicas e Culturais - Ilhabela”, sucesso de vendas hoje esgotado nas prateleiras e aclamado com unanimidade como o mais preciso e abrangente documento turístico sobre o município, o portal apresenta todo o vasto e confiável conteúdo da publicação impressa e uma série de novidades históricas, naturais, culturais, sociais e esportivas do arquipélago.

Acessado em dezenas de países de todos os continentes, divulgado diariamente para milhares de pessoas durante vários anos via redes sociais e hoje transformado no projeto www.arquipelagoilhabela.com.br, o portal possui mais de trezentas páginas e um conteúdo em grande parte inédito e impressionante - com testemunhos e cartas de recomendação de praticamente todos os atores que representam o Turismo regional (órgãos públicos, turismólogos, agências, operadoras de Mergulho, donos de meios de hospedagem e serviços de alimentação, guias, ambientalistas, jornalistas, pesquisadores, moradores, atletas, etc.).

Antes de ser transformado em outro projeto, o portal se destacava na primeira página do Google (na maioria das vezes em primeiro lugar absoluto) em praticamente todas as buscas realizadas com suas principais palavras chaves combinadas com o termo “Ilhabela” - “praias”, “onde ficar”, “onde comer”, “cachoeiras”, “passeios marítimos”, “naufrágios”, “aventura”, “ecoturismo”, “parque estadual”, “fauna”, “flora”, “bonete”, “castelhanos”, vila”, etc;

Momentos de descontração durante o trabalho de campo - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

O casal de atletas-documentaristas Fernanda Lupo e Márcio Bortolusso - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Márcio em três tempos: fotografando uma cachoeira, autorretrato após dias “rasgando” mata com taquaral e durante uma viagem em canoa caiçara - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

8)   IMPORTANTE PAPEL NA CONSOLIDAÇÃO DE ILHABELA COMO DESTINO NACIONAL DE ECOTURISMO E AVENTURA PELA VALORIZAÇÃO DAS POTENCIALIDADES DO ARQUIPÉLAGO EM MAIS DE 100 MÍDIAS: Com total independência e imparcialidade - sem vínculos políticos ou remunerações por parte de órgãos públicos e grupos locais (inclusive fornecendo gratuitamente dezenas de textos e entrevistas e centenas de fotos) - apenas contabilizando os primeiros anos do projeto, os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® produziram ou participaram da produção de mais matérias sobre Turismo Ecológico e/ou atividades ao Ar Livre em Ilhabela que a Prefeitura, o Parque Estadual e todas as demais mídias locais juntas.

Exemplos de importantes mídias que divulgaram o “Arquipélago da Aventura” (muitas vezes em matérias de Capa e/ou de várias páginas): Estadão, Folha de SP, O Globo, UOL, Terra, Record, Ig, Metro News, Canal Off, ESPN, Revista A+, Rede TV, Go Outside, Elite Travel, Runners World, Aventura & Ação, Náutica, Perfil Náutico, Velejar, Webventure, etc);

 

9)   MATÉRIAS EXCLUSIVAS SOBRE O ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA NO MAIOR PORTAL DE AVENTURA DO BRASIL: Além das várias ações de divulgação na imprensa nacional e internacional, a nova “oferta” e as “potencialidades turísticas” de Ilhabela ainda foram promovidas através de artigos exclusivos no www.extremos.com.br - um dos mais renomados aventureiros brasileiros, o expedicionário-documentarista Bortolusso é colunista de tal mídia e consagra-se como um dos colaboradores com maior audiência deste que é “o maior portal de Aventura do Brasil”, “terceira maior mídia de atividades ao ar livre do mundo”;

 

10)   DIVULGAÇÃO DA NOVA OFERTA E DAS POTENCIALIDADES TURÍSTICAS DE ILHABELA EM IMPORTANTES MÍDIAS INTERNACIONAIS: Com grande expertise em Jornalismo Esportivo, Assessoria de Imprensa nos segmentos Ecoturismo e Aventura e em Fotografia e Cinegrafia de atividades ao Ar Livre, após mais de uma década realizando ações de infraestrutura, além de divulgar o “Arquipélago da Aventura” em mais de uma centena de mídias brasileiras, Fernanda e Márcio também produziram uma série de matérias e releases para importantes mídias internacionais de Viagem, Natureza e Cultura Outdoor - valiosa ação promocional que potencializa os objetivos programados no Plano Gestor de Turismo de Ilhabela.

Exemplos de algumas mídias estrangeiras que divulgaram Ilhabela: Adventure Mag (Austrália), Outdoor UAE (Emirados Árabes Unidos), Andar Extremo (Argentina), Say Yes To Adventure (Nova Zelândia), Paddling Life (Estados Unidos), etc;

Centenas de quilômetros foram percorridos durante a produção do portal, pelas mais diversas trilhas de Ilhabela - Fotos: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Fernanda remando em mar aberto, com o Arquipélago de Alcatrazes ao fundo - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Exemplo das mais de 1.000 ações da Photoverde divulgadas em mais de 550 mídias.

press to zoom

11)   VALORIZAÇÃO DAS POTENCIALIDADES NATURAIS E CULTURAIS DE ILHABELA EM IMPORTANTES EVENTOS NACIONAIS: Desde 2009, os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® realizam palestras, oficinas ou Assessoria de Imagem em alguns dos mais importantes eventos nacionais dos segmentos Ecoturismo e Aventura, oportunidade em que divulgam a “oferta” e as “potencialidades turísticas” de Ilhabela através do lobby junto a valiosos formadores de opinião (atletas profissionais, praticantes, organizadores de eventos, jornalistas, empresários do setor, público de segmentos e nichos específicos de mercado, etc.).

Exemplos de eventos: Adventure Sports Fair (“Oficinas de Aventura”), Salão do Turismo, ABAV Expo Internacional de Turismo (feira da Associação Brasileira das Agências de Viagem), Abertura da Temporada de Montanhismo Decathlon, Congresso Sul-americano de Canionismo, Rio Mountain Festival, São Paulo Boat Show, Feira Literária de Aventura de Ilhabela, etc;

 

12)   TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO DOS ÓRGÃOS PÚBLICOS, PROFISSIONAIS DO TURISMO, ONGS, MORADORES E DEMAIS ENTIDADES LOCAIS: Ótimas ferramentas para informar e sensibilizar os atores do turismo local a respeito de questões culturais e ambientais, das várias vantagens da transformação do Arquipélago de Ilhabela em um importante polo de Ecoturismo e Aventura e sobre os benefícios de se investir nestas rentáveis e sustentáveis indústrias, palestras foram ministradas em eventos no município e reuniões realizadas com os principais representantes públicos e do Trade Turístico local - prefeito, secretários, vereadores, jornalistas, agências de Turismo, responsáveis pelo Uso Público e Meio Ambiente do Parque Estadual de Ilhabela, redes hoteleira e de alimentação, operadoras de Mergulho, guias e monitores ambientais, comerciantes, alunos, atletas/praticantes, moradores, etc.

Como reforço destas ações, o livro "Viagens Ecológicas e Culturais - Ilhabela", de autoria dos expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® e considerado “a mais completa e confiável publicação sobre o Arquipélago de Ilhabela”, foi doado para a maioria dos responsáveis pelo Turismo regional (acima citados); entrevistas e matérias explicando o diferenciado, exigente e minucioso trabalho do casal foram publicadas em diversas mídias locais; documentos, imagens e inventários foram cedidos a incontáveis organizações (Secretaria de Turismo, Associação de Hotéis e Pousadas, Convention Bureau, Instituto Histórico, Geográfico e Arqueológico de Ilhabela, representantes de comunidades tradicionais Caiçaras, meios de comunicação, produtoras de documentários, etc.); pesquisadores interessados em conteúdo foram assistidos com atenção redobrada; dentre inúmeras outras ações de conscientização.

Até mesmo na ocasião em que Fernanda e Márcio educadamente recusaram o generoso convite para uma “Moção de Congratulação” na Câmara Municipal de Ilhabela - por conta dos seus trabalhos realizados em prol do desenvolvimento turístico do seu município - o casal não perdeu a oportunidade de apresentar aos representantes municipais uma visão diferenciada de investimento e exploração verdadeiramente sustentável dos patrimônios naturais e culturais do arquipélago;

Melhor solução logística para documentar o litoral de Ilhabela, caiaques oceânicos capazes de se aproximar ao máximo da costeira - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Palestras sobre o projeto Viagens Ecológicas e Culturais em prol do desenvolvimento sustentável do Ecoturismo e das atividades ao Ar Livre em Ilhabela - Fotos: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Fernanda junto a exemplares de grandes árvores seculares - Fotos: Márcio Bortolusso.

press to zoom

13)   ASSESSORIA À AGÊNCIAS DE ECOTURISMO NACIONAIS E INTERNACIONAIS INTERESSADAS NO DESTINO ILHABELA PARA DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS: Recepcionar importantes operadoras ou saber que empresas turísticas foram fundadas inspiradas em suas ações sem dúvida é uma grande honra para os profissionais da PHOTOVERDE®.

Estrategicamente selecionadas pelo casal para possíveis parcerias ou naturalmente interessadas em investir no município, empresas de Turismo de várias partes do Brasil e de outros países ocasionalmente são assessoradas a respeito das diversas vantagens (e de possíveis questões técnicas a serem resolvidas) de se realizar operações turísticas em Ilhabela.

Indo além das consultorias virtuais ou presenciais em escritórios, dispensando honorários, em determinados casos os expedicionários-documentaristas apresentam in loco os principais produtos da Oferta Turística local aos profissionais de Turismo interessados no arquipélago (de roteiros de algumas horas até trilhas ou remadas de vários dias);

 

14)   LEVANTAMENTO, EXPLORAÇÃO, MEDIÇÃO E MAPEAMENTO DE CAVERNAS, GRUTAS E TOCAS DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA + PRIMEIRO INVENTÁRIO DE CAVERNAS SUBMARINAS DE UM ARQUIPÉLAGO BRASILEIRO: Iniciado há vários anos, mas ainda em fase de produção, com primeiros resultados a serem publicados em breve.

Inventário inédito de grande relevância para o Ecoturismo e para a economia do município de Ilhabela que reúne cavidades naturais com grande potencial para se tornarem produtos da “oferta turística” municipal.

Desconhecidas do Trade Turístico, da Prefeitura, do público e até mesmo da maioria dos guias e moradores mais antigos, todas as formações estão sendo devidamente exploradas, registradas em foto e vídeo, medidas, mapeadas e catalogadas no Cadastro Nacional de Cavernas (CNC), principal inventário do gênero do Brasil, coordenado pela Sociedade Brasileira de Espeleologia.

O levantamento inclui “enormes salões com centenas de metros quadrados” e “uma das maiores cavernas de granito do Brasil”, com dutos de até 196 metros de extensão.

Em paralelo aos trabalhos nas cavidades terrestres de Ilhabela, os expedicionários-documentaristas realizaram também o “primeiro inventário de cavernas submarinas de um Arquipélago Brasileiro”, valiosa pesquisa que fez parte das seis expedições extremistas e pioneiras da mega jornada científica-exploratória www.6HardXpeditions.com (Patrocínio: Lg do Brasil®, Duracell®, GORE-TEX® e Viva Schin® + Apoio: Volvo Cars®, Solo®, Pé na Trilha®, Seasub®, Meu Dome® e Universo Marinho®).

Em pontos de difícil acesso do Arquipélago de Ilhabela e trabalhando sob difíceis condições subaquáticas (fortes correntes, visibilidade limitada, espaços confinados, etc.), o projeto revelou ao público informações inéditas de “algumas das mais belas formações rochosas da costa brasileira”, de uma belíssima caverna marítima com os “primeiros espeleotemas do Arquipélago de Ilhabela” (ainda aguardando confirmação, mas talvez “os maiores espeleotemas do gênero do Brasil”), de “um dos maiores conjuntos de grutas e passagens submarinas do país” e de “extensas passagens submarinas”;

Impossível calcular a quantidade de grutas encontradas pela dupla, algumas de fácil acesso e outras há dias de caminhada da área urbana - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Durante explorações em condições adversas e terreno hostil, a rotina de consertar equipamentos avariados, analisar mapas e GPS e pernoitar com o mínimo possível - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Navegando pela mata, a dupla encontrou dezenas de grutas, algumas com capacidade para abrigar centenas de pessoas - Foto: Guido Botto.

press to zoom

15)   ELABORAÇÃO DO PRIMEIRO INVENTÁRIO COM TODAS AS PRAIAS DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Após a produção do “Inventário da Oferta e das Potencialidades Turísticas do Arquipélago de Ilhabela”, os profissionais da PHOTOVERDE® levantaram, exploraram, mediram, documentaram, catalogaram e mapearam todas as praias do município.

Após tais esforços, a ilha de São Sebastião (a maior do arquipélago e popularmente chamada de Ilhabela) tornou-se a “segunda ilha do Brasil em número de praias”, saltando das 39 oficialmente contabilizadas para 73 praias inventariadas - algumas entre as mais belas do Brasil, consequentemente do mundo.

Além da medição de todas as faixas de areia, o casal de expedicionários-documentaristas ainda realizou uma profunda análise de cada praia, com descrições físico-geográficas e socioambientais -  do turbidez do mar (grau de transparência), biodiversidade de cada área, características principais, infraestrutura ou grau de preservação, atividades praticáveis, localização, acesso, etc;

 

16)   MANUTENÇÃO DE TRILHAS + REABERTURA DE CAMINHO HISTÓRICO + ELABORAÇÃO DO MAIS COMPLETO INVENTÁRIO DAS TRILHAS DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Às vezes acompanhados por outros aventureiros, Fernanda e Márcio identificaram, exploraram, documentaram, catalogaram, mapearam e remediram cerca de 196 km de trilhas com valor turístico em Ilhabela (para ter uma ideia comparativa, as oficiais do Parque Estadual somam apenas uns 40 km).

O inventário apresenta um descritivo de cada trilha, distâncias de cada percurso, tempos aproximados, níveis de dificuldade, principais atrativos dos trajetos, um mapa com a localização das trilhas oficiais/permitidas do Parque e do município, entre outras informações.

O casal ainda realizou limpeza periódica nas rotas de maior valor turístico (Jabaquara-Fome-Poço, Castelhanos-Eustáquio, etc.) e está na fase final da reabertura da centenária “Travessia da Costa Oceânica de Ilhabela”, “uma das maiores, mais belas e duras trilhas do litoral brasileiro” (~70 km em 7 dias), espetacular caminho com mais de 100 anos que era considerado proibido e mantinha trechos interditados por décadas. Lentamente, tal trilha está sendo reaberta exatamente sobre o seu traçado original, revelado após pesquisas que a identificaram imortalizada em uma mapa de 1912.

Após a apresentação de documentos e uma série de argumentações jurídicas que provam que tal trilha não poderia estar fechada à sociedade, felizmente este magnífico caminho histórico e turístico foi oficialmente liberado para publicação no livro publicado pelos autores (e automaticamente para uso) pela Fundação Florestal, órgão da Secretaria do Meio Ambiente do Governo do Estado de São Paulo, responsável pela administração do Parque Estadual de Ilhabela;

Além das trilhas, por meses os documentaristas navegaram pela mata fechada de Ilhabela para descobrir, confirmar ou registrar atrativos naturais- Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Acordar antes do sol nascer faz parte do trabalho dos documentaristas - Foto: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Márcio e Guido Botto, após atravessarem a Laje Preta, um dos trechos mais difíceis da Travessia da Costa Oceânica da Ilha de São Sebastião - com difícil navegação e “fechado” por mato e extenso taquaral - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

17)   LEVANTAMENTO, EXPLORAÇÃO, MEDIÇÃO E MAPEAMENTO DAS CACHOEIRAS DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA + ÚNICO INVENTÁRIO QUE APRESENTA TODAS AS QUEDAS D’ÁGUA DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Apesar de oficialmente e popularmente ser divulgado o exagero de “365 cachoeiras, uma para cada dia do ano” (algo jamais contabilizado em todos os 5.568 municípios brasileiros), na prática os guias locais e outros especialistas em Ilhabela conheciam apenas umas 10 à 16 quedas d’água.

Mas após mais de uma década de trabalho de campo, os expedicionários-documentaristas identificaram, exploraram, registraram, mapearam e catalogaram 38 cachoeiras em Ilhabela, várias inéditas ao público e com potencial para a prática sustentável de Acquatrekking e Canionismo.

Para garantir a integridade tanto destes atrativos naturais quanto de possíveis visitantes, apenas 27 quedas d’água foram divulgadas ao público e muitas foram apresentadas sem informações sobre acesso e com uma série de recomendações de segurança (guias recomendados, atenção com piso escorregadio, cuidados com impacto ambiental, etc.).

O trabalho incluiu a medição da altura das principais quedas d’água do município e análises para a elaboração de detalhados textos com as descrições físicas de cada cachoeira.

Dentre alguns dos vários títulos concedidos para Ilhabela após tal inventário: a Ilha de São Sebastião (a maior do arquipélago) se tornou “a ilha com a maior quantidade de cachoeiras do Brasil”  (“mais quedas d’água que a maioria dos municípios brasileiros”); “abriga uma das maiores cachoeiras do país, a inédita Grande do Areado” (+ de 200 m); e “possui o maior aporte de água doce das ilhas marítimas brasileiras”, com centenas de nascentes, algumas que formam os “raros rios/riachos sem interferência humana até a foz”);

 

18)   O MAIS COMPLETO INVENTÁRIO DOS PONTOS DE MERGULHO DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Os profissionais da PHOTOVERDE® levantaram, mapearam e catalogaram 65 points, vários inéditos até mesmo para as operadoras de Mergulho.

Gerando importantes títulos para Ilhabela, como o “território insular com um dos maiores conjuntos de grutas e passagens submarinas do país”, o levantamento inclui um descritivo de cada área (geografia, biodiversidade, etc.), mapa com a localização de todos os pontos inventariados, condições para fundeio, profundidades, visibilidades médias, níveis de dificuldade e modalidades;

Fernanda e Márcio durante trabalho de campo na região das cachoeiras do Veloso e do Cabarahu - Foto: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Imagens da exigente exploração da cachoeira Grande do Areado. Na foto do grupo, da esquerda para a direita: Carlos Nunes, Fernanda Lupo, Márcio Bortolusso e Alex Damico - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Após horas de caminhada e escalada, revigorante banho noturno na cachoeirinha da Vista - Foto: Arquivo Photoverde.

press to zoom

19)   O MAIS COMPLETO INVENTÁRIO DOS NAUFRÁGIOS DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Após uma exaustiva pesquisa que durou meses e analisou centenas de documentos nacionais e internacionais, o casal elevou os cerca de 20 sinistros marítimos até então conhecidos em Ilhabela para 45 naufrágios realmente confirmados, grande parte ainda desconhecidos da maioria dos mergulhadores.

O trabalho consolidou importantes títulos para Ilhabela, como o “território insular com o maior número de naufrágios do Brasil”, palco da “maior tragédia marítima brasileira” - nas águas do arquipélago repousa o transatlântico Príncipe de Astúrias, “o maior e mais importante naufrágio ocorrido no Brasil”.

O inventário inclui um descritivo de cada embarcação afundada (categoria, datas dos sinistros, medidas, números de vítimas e sobreviventes, cargas que transportavam, causas de cada acidente, curiosidades, etc.), mapa com a localização de todos os naufrágios até então georreferenciados, condições de mergulho, profundidades, visibilidades médias, níveis de dificuldade e estado atual; 

 

20)   PIONEIRISMO NA VALORIZAÇÃO E DIVULGAÇÃO DA OBSERVAÇÃO DE AVES EM ILHABELA + MÍDIA COM A MAIOR GALERIA DE AVES FOTOGRAFADAS E IDENTIFICADAS: Por meio de palestras, de artigos em diversas mídias nacionais e locais, de seu livro, de seu portal, de entrevistas e, dentre várias outras estratégias de divulgação, de reuniões com o poder público e com empresários do Trade Turístico local, os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® há mais de uma década promovem esta que é uma das mais rentáveis e menos impactantes atividades ao Ar Livre.

Muito antes de tal segmento fazer parte da pauta econômica regional e do município contar com guias especializados em tal modalidade turística, o portal “Viagens Ecológicas e Culturais - Ilhabela” (hoje www.arquipelagoilhabela.com.br) já apresentava ao público a maior quantidade de pássaros fotografados e identificados no arquipélago (com nome popular, nome científico, nome em inglês, lista com principais espécies, etc.).

Exemplo de títulos para Ilhabela que são trabalhados junto à mídia e o público: “Ilhabela possui quase a mesma quantidade de espécies que o extenso território da Patagônia”“excelente destino de Observação de Aves, Ilhabela é um dos melhores locais para avistamento e registro do papagaio-moleiro, maior espécie de papagaio do Brasil”;

 

21)   DESENVOLVIMENTO DA ESCALADA EM ROCHA NO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Com o objetivo de consagrar o “Arquipélago da Aventura”, desde 2009 os expedicionários-documentaristas Fernanda e Márcio realizam um trabalho árduo, custoso e arriscado em prol da implantação da Escalada em Rocha no município - identificando zonas potenciais; explorando áreas inóspitas; estruturando setores e vias; realizando manutenções; formando os primeiros praticantes; catalogando para futuro “Guia de Escaladas de Ilhabela”; divulgando em importantes mídias e em variadas redes sociais; e recepcionando os primeiros visitantes (incluindo importantes escaladores de vários estados brasileiros).

A iniciativa visa transformar o município de Ilhabela em “um dos principais points para a prática de Escalada do Estado de São Paulo”. Experientes montanhistas renomados nacionalmente, o casal acredita que o arquipélago já representa “a melhor área para Escalada nas modalidades Esportiva e Psicobloc do litoral paulista” e “um dos melhores points de Boulder” e possui “um dos melhores setores para Escalada com proteções Móveis do litoral brasileiro”;

Ruínas históricas e sítios arqueológicos constantemente foram documentados ou mesmo descobertos pelos documentaristas - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Márcio fixando proteções em uma nova via de Escalada na Falésia da Brabinha - Foto: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Márcio e Fernanda abriram novas rotas e áreas para Escalada e produziram um amplo levantamento de pedras e setores para a prática de várias modalidades da atividade - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

22)   CONSOLIDAÇÃO DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA COMO UMA DAS MELHORES ÁREAS PARA CANOAGEM OCEÂNICA DO BRASIL + IMPLANTAÇÃO DE NOVAS MODALIDADES: Há mais de uma década os expedicionários-documentaristas valorizam o potencial da Canoagem de Ilhabela em matérias (inclusive em importantes mídias internacionais), em palestras, em seu livro, em seu portal e em várias redes sociais.

Dentre suas principais ações, descobriram novos points, formaram praticantes, divulgaram novas atividades e promoveram junto à mídia e o público títulos como “Ilhabela é um dos melhores points para Canoagem Oceânica de Águas Brancas (Rock Gardening) do Brasil”.

O casal trabalha para consolidar a circum-navegação da Ilha de São Sebastião (a maior do arquipélago, terceira maior ilha marítima brasileira) em um importante roteiro da Canoagem nacional - “uma das mais fantásticas remadas do Brasil, 3 a 4 dias percorrendo uma das zonas mais paradisíacas do litoral brasileiro”;

 

23)   DESDE 2009, PIONEIRISMO NA PRÁTICA E DIVULGAÇÃO DAS MODALIDADES SLACKLINE, WATERLINE E HIGHLINE: Muitos anos antes de Ilhabela se tornar referência na atividade Slackline e sediar campeonatos brasileiros, o casal já promovia “a arte de se equilibrar sobre uma fita” em matérias, redes sociais e no seu portal e livro.

Além de praticar o Slackline em diversos points do município, também praticaram Waterline e abriram a “primeira linha de Highline do Arquipélago de Ilhabela”;

 

24)   INTRODUÇÃO DO PARAPENTE NO ARQUIPÉLAGO: Com consultoria do Sabiá Tapajós, um dos maiores nomes do Paraquedismo, B.A.S.E. Jump e Parapente do mundo, os profissionais da PHOTOVERDE® identificaram e qualificaram as melhores áreas para a prática da atividade no Arquipélago.

Promessa do atleta voltar para voo de Acro inédito e para primeiro salto de B.A.S.E. Jump de Ilhabela;

Durante a circum-navegação da Ilha de São Sebastião (Ilhabela) em 4 dias, foram registrados locais impossíveis de serem acessados por trilha ou com barcos maiores - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Caiaques oceânicos ajudaram a dupla a descobrir novas áreas para a prática de atividades ao Ar Livre ou registrar locais de difícil acesso - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

O casal junto ao mundialmente conhecido paraquedista Sabiá e uma amiga. Grandes nomes do esporte ajudaram nos textos sobre atividades ao Ar Livre - Foto: Arquivo Photoverde.

press to zoom

25)   PESQUISA PIONEIRA SOBRE A VERDADEIRA HISTÓRIA DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA, COM REVISÃO DE INÚMEROS DOCUMENTOS HISTÓRICOS QUE CARECIAM DE CORREÇÃO E/OU NOVOS DADOS: Com uma série de fatos inéditos ou do conhecimento de raras pessoas, sem “imprecisões históricas” ou “exageros midiáticos” (como infelizmente por décadas vem sendo divulgado pelos órgãos públicos, mídias locais e nacionais, Trade Turístico e população) e com um formato mais atrativo ao público, os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® produziram uma série de textos jornalísticos sobre os principais períodos históricos de Ilhabela - os primeiros povos que habitaram o arquipélago, a chegada dos primeiros colonizadores europeus, a ocupação do município (ciclos do açúcar, do óleo de baleia, do café, da aguardente, da pesca, da banana, do turismo, etc.), passagens e invasões comprovadas de piratas e corsários (mais de uma dúzia de polêmicos personagens e histórias realmente inacreditáveis), lamentáveis trezentos anos de escravidão, entre outros importantes acontecimentos.

O minucioso estudo foi realizado em parceria com pesquisadores de diversas áreas (arqueólogos, biólogos, historiadores, etc.) e segundo especialistas originou “o mais completo e confiável levantamento turístico do Arquipélago de Ilhabela” - árduo trabalho de campo e exaustiva pesquisa que dentre sua vasta bibliografia teve centenas de “fontes primárias” analisadas e inúmeros documentos históricos (raros manuscritos, diários de época, mapas seculares, etc.) que permitiram o cruzamento de um elevado número de dados etno-arqueológicos, antropológicos, biológicos, etc.

Após os primeiros 25 meses de trabalho (de um projeto que já ultrapassa uma década), dados cruciais da história de Ilhabela foram reescritos ou reveladas com ineditismo ao público;

 

26)   LEVANTAMENTO E PRODUÇÃO DE DADOS SOBRE OS FARÓIS, FAROLETES, BOIAS E LUZES PARTICULARES DE ILHABELA - O MAIS COMPLETO E PRECISO INVENTÁRIO SOBRE A SINALIZAÇÃO NÁUTICA DO ARQUIPÉLAGO: Os faróis são um patrimônio arquitetônico de grande valor histórico e cultural e parte da história do Arquipélago de Ilhabela, “o território insular com a maior concentração de naufrágios do Brasil”.

Muito mais que proteger os praticantes de esportes náuticos e marinheiros que frequentam as águas do Arquipélago, salvaguardando e confortando o espírito dos navegantes 365 dias por ano, os faróis e faroletes de Ilhabela são admirados por todos os poucos privilegiados que os conhecem e podem se tornar uma valiosa estratégia de Turismo Cultural diante da enorme demanda de “lighthouse lovers”, apaixonados por tal tema que movimentam milhões de dólares ao ano com viagens ao redor do mundo, publicações (livros, sites, etc.) ou suvenires (camisetas, etc.);

Afinal, as quinze ilhas e ilhotes do Arquipélago de Ilhabela representam “um dos melhores destinos para observação de faróis da extensa costa brasileira”.

Além de produzir o mais completo e minucioso levantamento dos faróis, faroletes, boias e luzes particulares de Ilhabela (inventariando locais, documentando, pesquisando dados fidedignos, etc.), desde 2009 o casal promove tal patrimônio cultural e sustentável segmento econômico junto ao público, jornalistas, Trade Turístico e representantes municipais, por meio de dezenas de matérias em importantes mídias, palestras, redes sociais, etc;

Fernanda na praia da Armação, com vestígios da mais importante “armação” de caça e processamento de baleias de Ilhabela - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Após dias de remada, desembarque na temida Ponta da Pirabura, em um dos pontos mais críticos para navegação da costa brasileira - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Márcio analisando a ondulação em busca do momento certo para entrar no temido Buraco do Cação - Foto: Guido Botto.

press to zoom

27)   DESCOBERTA E DOCUMENTAÇÃO DE SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS NÃO CATALOGADOS + INVENTÁRIO SOBRE O PATRIMÔNIO CULTURAL DO ARQUIPÉLAGO COM DADOS DE GRANDE RELEVÂNCIA TURÍSTICA: Material de grande valor na sustentável promoção de Ilhabela produzido em parceria com pesquisadores de diversas áreas - abrange o patrimônio arqueológico do arquipélago (sambaquis, sítios em abrigos sob rochas, sítios indígenas, sítios históricos, etc.), a cultura caiçara (as 14 comunidades tradicionais do município, seus costumes, características físico-demográficas, etc.), o casario histórico remanescente (descrição dos principais prédios e mapa), o artesanato local, entre outros temas.

Durante as centenas/milhares de quilômetros percorridos em mais de uma década de projeto, os expedicionários-documentaristas visitaram e registraram ruínas históricas isoladas raramente visitadas e ainda descobriram sítios arqueológicos sem cadastro nos centros de pesquisa municipal, estadual e federal;

 

28)   ÚNICA MÍDIA A DOCUMENTAR E VALORIZAR TODAS AS 15 ILHAS E ILHOTES DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Poucas pessoas sabem, mas não existe no Brasil uma ilha sequer chamada “Ilhabela” - nome oficial do município e do arquipélago no qual se localiza a “Ilha de São Sebastião”, terceira maior ilha marítima brasileira e equivocadamente chamada de “Ilhabela” até mesmo por guias de Turismo e autoridades locais.

Buscando valorizar um dos maiores atributos econômicos e turísticos de Ilhabela, desde 2009 os expedicionários-documentaristas exploram, documentam, produzem conteúdos e divulgam tal município por meio do seu maior diferencial e valor: ser um “arquipélago” e não apenas uma simples “ilha”.

O portal “Viagens Ecológicas - Ilhabela” (atual www.arquipelagoilhabela.com.br), foi a primeira e até hoje é a única mídia a apresentar todas as quinze ilhas e ilhotes de Ilhabela (com fotos individuais) e após mais de uma década de esforços conscientizando moradores, turistas, profissionais do Trade Turístico, autoridades, entre outros, esta característica especial do Arquipélago felizmente hoje está sendo reconhecida e valorizada - no início do projeto raramente alguém se referia ao município como arquipélago (termo restrito apenas à raros documentos oficiais) e hoje já é comum alguns órgãos públicos, guias de Turismo e jornalistas adotarem tal vocábulo;

 

29)   INVENTÁRIO COM AS MAIORES MONTANHAS DO MUNICÍPIO DE ILHABELA + CORREÇÃO TOPOGRÁFICA DA ALTITUDE E LOCALIZAÇÃO DO PICO DO BAEPI: Levantamento realizado pelos expedicionários-documentaristas constatou que a Ilha de São Sebastião - terceira maior ilha marítima do Brasil e a maior do Arquipélago de Ilhabela - abriga “as dez maiores montanhas insulares do Brasil”, todas com mais de mil metros de altitude e com um pico culminante com quase 1.400 metros (detalhe, só existe uma única outra ilha no Brasil tão elevada, porém com um único pico que apresenta pouco mais de mil metros).

Após um extenuante, meticuloso e demorado processo de cruzamento de dados geopolíticos (grande parte fontes oficiais que apresentavam erros crassos de medição e georreferenciamento), o projeto aferiu bibliograficamente as vinte principais elevações de Ilhabela e remediu in loco o “Pico do Baepi”, a montanha mais famosa do município, que erroneamente é divulgado pelos principais órgãos públicos locais como tendo “1.048” metros, clara confusão com a formação vizinha “Morro do Baepi”. Assinalado simplesmente como “rochoso” nas principais cartas geográficas, o Pico do Baepi foi corrigido para 1.017 metros de altitude.

Observação: a remedição oficial de todas as principais montanhas de Ilhabela - presencial, com tecnologias de alta precisão (DGPS, etc.) e para ser adotada por órgãos nacionais - ainda não foi realizada pelos profissionais da PHOTOVERDE® por questões financeiras e logísticas;

Além de render boas imagens, a exploração de trechos de costeira isolados ajudou na elaboração de algumas teorias históricas - Foto: Fernanda Lupo.

press to zoom

Fernanda diante do Ilhote do Ribeirão, na grande Baía dos Castelhanos - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Márcio no mirante da praia dos Castelhanos - Foto: Fernanda Lupo.

press to zoom

30)   VALORIZAÇÃO DO DESTINO ECOTURÍSTICO ILHABELA PELA ASSESSORIA DE IMPRENSA GRATUITA E/OU PRODUÇÃO EM EVENTOS E CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS: Profissionais reconhecidos nacionalmente com um ativo cronograma de atividades, os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® constantemente concedem entrevistas para importantes meios de comunicação e prestam consultoria para jornalistas, publicitários, empresas multinacionais, órgãos governamentais e entidades esportivas e ambientais, oportunidade em que divulgam a Oferta e as Potencialidades Turísticas de Ilhabela.

Apenas como exemplo de ação, com a experiência de vários anos prestando serviço em importantes estúdios de Foto Publicitária e realizando trabalhos em parceria com algumas das maiores agências de Marketing do mundo, o casal também se empenha em valorizar a cidade de Ilhabela como ótima locação para sessões fotográficas e filmagens publicitárias (excepcional beleza cênica, excelente estrutura logística, clima favorável na maior parte do ano, baixo custo de produção, proximidade da Capital São Paulo, variedade de cenários, etc.), assessorando produtores e diretores em obras audiovisuais diversas;

 

31)   VALORIZAÇÃO DO TRADE TURÍSTICO DE ILHABELA NO CENÁRIO NACIONAL: Além de divulgar por mais de uma década as mais completas e atualizadas listas das agências de Turismo, operadoras de Mergulho e centenas de serviços de hotelaria e alimentação local, o portal “Viagens Ecológicas e Culturais - Ilhabela” (atual www.arquipelagoilhabela.com.br) sempre valorizou em suas publicações a qualidade e a singularidade da infraestrutura do município - não apenas através de listagens e espaços publicitários, mas por meio de inúmeros textos, imagens e matérias publicadas em diversas mídias;

 

32)   CONSTANTE APOIO À PESQUISA E À PROFISSIONAIS DE DIVERSAS ÁREAS INTERESSADOS PELA TEMÁTICA ILHABELA: Desde 2009, os expedicionários-documentaristas prestam assistência à solicitações diversas de jornalistas, turismólogos, escritores, guias e condutores, pesquisadores (biólogos, etc.), atletas, moradores e um grande número de turistas.

Dentre inúmeras solicitações de material de pesquisa ou informações, destaque para conteúdos que foram utilizados em teses de conclusão de cursos (de Bacharelado, Mestrado e Doutorado), livros, documentários e artigos;

Márcio escalando os boulders da praia do Gato, após uma tentativa frustrada de realizar a Volta da Ilha - Foto: Carlos das Neves – Cemar.

press to zoom

Márcio durante pedalada na zona oeste de Ilhabela - Foto: Fernanda Lupo.

press to zoom

Linguagem de sinais - Foto: Fernanda Lupo.

press to zoom

33)   A MÍDIA MAIS COMPROMETIDA COM O DESENVOLVIMENTO ECOTURÍSTICO DE ILHABELA: Muito mais do que ser apenas um meio de comunicação, limitado à somente divulgar notícias cotidianas de sua cidade, desde 2009 o portal “Viagens Ecológicas e Culturais - Ilhabela” (atual www.arquipelagoilhabela.com.br) teve participação ativa em eventos decisivos sobre o futuro do Turismo regional (cooperando na elaboração do “Plano de Manejo do Parque Estadual de Ilhabela” e no “Plano Gestor de Turismo de Ilhabela”, militando em audiências públicas sobre grandes obras que prometiam ameaçar a perenidade do patrimônio natural e cultural municipal, etc.) e realizou uma série de ações em prol do planejamento e implementação do Ecoturismo na região (ministrando palestras educativas para moradores e empresários locais ou da cidade de São Paulo, defendendo as vantagens de determinados investimentos junto aos principais representantes locais, realizando divulgação diária de Aventura e Ecoturismo no arquipélago durante anos ininterruptos, produzindo fichas detalhadas sobre a prática de 16 atividades ao ar Livre praticadas em Ilhabela, realizando inúmeras ações favoráveis ao “turismo consciente”, priorizando  a exatidão das informações publicadas, etc.);

 

34)   PRODUÇÃO DE VÍDEOS, FOTOS E ARTIGOS SOBRE ATRATIVOS NATURAIS INÉDITOS AO PÚBLICO: Indo muito além do trabalho de divulgação da Oferta Turística do Arquipélago de Ilhabela (que contabiliza menções ou artigos sobre Ilhabela em mais de cem mídias nacionais e internacionais) e com extrema cautela - respeitando todas as orientações sobre Ética e Mínimo Impacto em ambientes naturais - o casal constantemente apresenta ao Trade Turístico, poder público e turistas novos atrativos de grande beleza cênica e alto valor turístico, estratégia que busca desenvolver o município que ainda carece de roteiros ecoturísticos, polos para práticas de atividades ao Ar Livre e estruturas adequadas para atender ecoturistas e aventureiros.

Alguns abertos à visitação e outros isolados e com acesso ainda oculto (mas que ainda assim contribuem com a valorização do patrimônio natural de Ilhabela), alguns exemplos de atrativos inéditos ao público lançados pelo projeto: Cachoeira Grande do Areado, Cânion dos Escravos, Piscinas das Furnas, Bloco Chocotone, Caverna da Talhada, Fenda da Talhada, Falésia do Seu Antônio, Trilha das Cachoeiras, Riscada, Garganta da Fome, Antônios, Bloco do Mirante, Cachoeiras do Poço, Falésia da Brabinha, etc;

Durante o trabalho de campo, o casal variava entre requintadas receitas em aconchegantes hospedagens, pratos oferecidos por caiçaras, cozinha ao Ar Livre e lanches de trilha - Fotos: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Fernanda durante exploração do selvagem ribeirão da Riscada, no lado oceânico da Ilha de São Sebastião - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Acessíveis apenas para ágeis e pequenos caiaques, fendas incríveis entram dezenas de metros pelos penhascos da costa sul de Ilhabela - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

35)   TRABALHO DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMUNIDADES E/OU MEMBROS CAIÇARAS SOBRE BENEFÍCIOS DO ECOTURISMO: Com costumes, legado histórico, expertise e cultura própria (linguajar, culinária, música, artesanato, histórias, etc.), o povo Caiçara representa o melhor da original diversidade cultural brasileira.

Mas infelizmente, apesar de sua singular e valiosa riqueza, a cultura Caiçara está seriamente ameaçada de ser extinta pela especulação imobiliária (na real, pela “pirataria” praticada por gananciosos, abastados e poderosos corretores e “estrangeiros” que literalmente roubam terras por meio de ludíbrio e mentiras), pelo danoso e desenfreado “Turismo de Massa” (que tristemente apenas “tira” e nada “deixa”) e pelas restrições ambientais que impedem que os nativos pratiquem suas principais atividades de subsistência (pesca, artesanato e agricultura familiar).

Hoje, das mais de quarenta comunidades que estima-se que existiram no Arquipélago de Ilhabela, restam apenas quatorze, que bravamente resistem às grandes ameaças externas.

Diante de uma guerra quase perdida (na opinião de muitos antropólogos e seguindo uma história parecida com a das primeiras tribos indígenas que desapareceram) e atentos ao preceito histórico das comunidades Caiçaras de viverem em harmonia com a natureza, sem persuasão e apenas na base do esclarecimento e da assessoria, desde 2009 os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® realizam um trabalho de conscientização de moradores a respeito dos inúmeros benefícios da adoção do Ecoturismo por meio do sustentável Turismo de Base Comunitária;

 

36)   MASSIVA DIVULGAÇÃO DA OFERTA E DAS POTENCIALIDADES DO ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA EM REDES SOCIAIS: Por mais de uma década (e durante alguns anos diariamente), os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® publicaram imagens e postagens (incluindo álbuns com dezenas de fotos), compartilharam matérias e transmitiram “lives” para milhares de contatos de grande valor mercadológico em 7 perfis das principais redes sociais (Facebook, Instagram e Youtube) - público segmentado seleto e os maiores nomes do Ecoturismo e da Aventura nacionais e internacionais, profissionais das maiores agências de Publicidade e produtoras de Cinema do mundo, ilustres jornalistas das mais respeitadas mídias, os principais empresários do setor (donos das principais operadoras de Turismo, fabricantes de equipamentos, etc.), os mais renomados atletas de diversas modalidades, etc;

 

37)   VALORIZAÇÃO DO DESTINO ILHABELA POR MEIO DE VALIOSO MARKETING DE ATRAÇÃO EM COMUNIDADES VIRTUAIS: Potencializando a Assessoria de Imprensa e as ações de Marketing Digital descritas nos tópicos anteriores, por anos releases e links para as ações realizadas e para matérias sobre Ilhabela foram enviados para importantes grupos dos segmentos Ecoturismo, Aventura, Natureza e Fotografia das principais redes sociais (Facebook, Instagram e Youtube), público-alvo potencial formado por comunidades com milhares de participantes;

 

38)   A MÍDIA SOBRE ILHABELA COM O MAIOR NÚMERO DE PROMOÇÕES E SORTEIOS: Outra estratégia para potencializar a divulgação do “Arquipélago da Aventura” nacionalmente, durante anos o portal “Viagens Ecológicas e Culturais - Ilhabela” (hoje www.arquipelagoilhabela.com.br) realizou uma série de promoções e sorteios de livros, pacotes turísticos, hospedagens e passeios ecológicos.

Como resultado, com divulgações que valorizavam o patrimônio cultural e ambiental e a estrutura do Trade Turístico do município, milhares de brasileiros de praticamente todos os estados do Brasil conheceram o destino Ilhabela;

Gratidão eterna. Os documentaristas e seus companheiros de trabalho sempre foram recebidos com muita hospitalidade e alegria pelos moradores - Fotos: Arquivo Photoverde.

press to zoom

Fernanda durante pedalada em área da antiga fazenda Cuiabá - Foto: Márcio Bortolusso.

press to zoom

Fernanda e Márcio registrando o réveillon de Ilhabela, uma das principais datas do calendário local - Foto: Arquivo Photoverde.

press to zoom

39)   CRIAÇÃO, IDENTIFICAÇÃO E/OU VALORIZAÇÃO DE DEZENAS DE IMPORTANTES TÍTULOS PARA O ARQUIPÉLAGO DE ILHABELA: Sem sensacionalismo ou exageros linguísticos e de modo totalmente técnico e comprovável, durante os mais de doze anos de minuciosa pesquisa e exigente trabalho de campo, os expedicionários-documentaristas da PHOTOVERDE® desenvolveram novos títulos para Ilhabela após surpreendentes descobertas científicas, constataram valiosos atributos do arquipélago nunca ou raramente utilizados e valorizaram diferenciais do município pouco ou nada apreciados.

Verdadeiro presente para os apaixonados por Ilhabela e importantes argumentos para a valorização de Ilhabela pelo Trade Turístico, poder público e jornalistas, dentre os inúmeros importantes títulos capazes de contribuir com o turismo sustentável do “Arquipélago da Aventura” e que estão sendo trabalhados na mídia (a maioria inéditos ao público e pesquisadores), destaque para:

 

- “Eleita por muitos viajantes como um dos mais espetaculares roteiros turísticos do planeta”, “Ilhabela possui uma das maiores potencialidades ecoturísticas do mundo”, se equiparando em quantidade e variedade de produtos turísticos (existentes ou a serem desenvolvidos) com os principais destinos de Turismo Ecológico e Aventura internacionais;

 

- “a Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, abriga as dez maiores montanhas insulares do Brasil” (incluindo “a maior montanha de uma ilha brasileira, com cerca de 1.375 metros de altitude”);

 

- “Ilhabela abriga uma das maiores cavernas de granito do Brasil” (com dutos de até 196 metros de extensão);

 

- O arquipélago abriga uma belíssima caverna marítima com os “primeiros espeleotemas registrados de Ilhabela” (a confirmar, mas talvez “os maiores espeleotemas do gênero do Brasil”);

 

- “O Arquipélago de Ilhabela abriga alguns dos melhores pontos de Mergulho do Brasil”;

 

- O “primeiro inventário de cavernas submarinas de um Arquipélago Brasileiro” confirmou que “o Arquipélago de Ilhabela é o território insular com um dos maiores conjuntos de grutas e passagens submarinas do Brasil” (com “enormes salões com centenas de metros quadrados”;

 

- “O Arquipélago de Ilhabela é o território insular com o maior número de naufrágios do país”;

 

- Palco da “maior tragédia marítima brasileira”, nas águas de Ilhabela repousa o “Príncipe de Astúrias, o maior e mais importante naufrágio ocorrido no Brasil”;

 

- “O Arquipélago de Ilhabela representa a maior área insular de Mata Atlântica do planeta”;

 

“O Arquipélago de Ilhabela é uma das regiões com um dos maiores índices de registro de cetáceos da costa brasileira” (com centenas de avistamentos ao ano);

 

- “A volta da Ilha de Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, com caiaques representa uma das mais fantásticas e importantes remadas do litoral brasileiro” (3 a 4 dias para remadores técnicos);

 

- “O Arquipélago de Ilhabela é um dos melhores points para Canoagem Oceânica de Águas Brancas (Rock Gardening) do Brasil”;

 

- “A Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, possui um dos melhores points para Escalada com Proteção Móvel do Brasil” (localizado na “Gruta do Oratório e no Buraco do Cação, algumas das mais belas formações da costa brasileira”);

 

- “A Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, abriga o melhor point de Escalada nas modalidades Esportiva, Boulder e Psicobloc do litoral do Estado de São Paulo”;

 

- Paraíso para Lighthouse lovers de todo o planeta, “o Arquipélago de Ilhabela é um dos melhores destinos para observação e documentação de faróis do Brasil”;

 

- “Área importante para a Conservação das Aves pela Birdlife International”, “o Arquipélago de Ilhabela possui quase a mesma quantidade de espécies que o extenso território da Patagônia”;

 

- “Excelente destino para Observação de Aves, Ilhabela é um dos melhores locais para avistamento e registro do papagaio-moleiro, maior espécie de papagaio do Brasil”;

 

- “A Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, é a ilha com a maior quantidade de cachoeiras do Brasil” (com mais de 40 quedas d’água registradas, possui “mais cachoeiras que a maioria dos 5.568 municípios brasileiros”);

 

- “A Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, abriga a maior cachoeira de uma ilha brasileira, uma das maiores quedas d’água do Brasil” (a majestosa Grande do Areado, com cerca de 200 metros e documentada após 24 quilômetros pela mata);

 

- “A Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, possui o maior aporte de água doce das ilhas marítimas brasileiras (com centenas de nascentes, algumas entre as raras sem interferência humana até a foz)”;

 

- “A Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, é a segunda ilha brasileira em número de praias” (algumas entre “as mais belas do Brasil, consequentemente do mundo”);

 

- “A Travessia da Costa Oceânica de Ilhabela é uma das maiores, mais lindas e difíceis trilhas do litoral brasileiro” (com cerca de 70 km percorridos em 7 dias);

 

- “O Arquipélago de Ilhabela é o único município-arquipélago marinho brasileiro”;

 

- “A Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, é a terceira maior ilha marítima do Brasil” (com 339 km² de área);

 

- “Um dos mais acidentados e elevados relevos da costa brasileira”, “a Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, é um dos mais importantes maciços de rochas alcalinas do Brasil”;

 

- “O Arquipélago de Ilhabela abriga uma das maiores concentrações de peixes endêmicos do país, incluindo 14 espécies da Mata Atlântica, de água doce”;

 

- “O Arquipélago de Ilhabela abriga o maior número de sítios arqueológicos do Litoral Norte do Estado de São Paulo";

 

- “A Ilha de São Sebastião, a maior do Arquipélago de Ilhabela, abriga um dos melhores beach breaks do Brasil, o Canto Bravo da praia do Bonete”:

 

40) ENTRE TANTAS OUTRAS AÇÕES REALIZADAS DESDE 2009 PELOS EXPEDICIONÁRIOS-DOCUMENTARISTAS IMPOSSÍVEIS DE SEREM LISTADAS: Para maiores detalhes visite o novo portal www.arquipelagodeilhabela.com.br ou acesse esta NOTA PÚBLICA.